Voltar
DOUTRINAS BÍBLICAS

CRISTOLOGIA - A DOUTRINA DE CRISTO

1. SUA PRÉ-EXISTÊNCIA

    A. Provada pelo Antigo Testamento

        "Pai da Eternidade" - Miquéias 5:2; Isaías 9:6

    B. Provada pelo Novo Testamento

        1 - João 1:1, em comparação com o versículo 14
        2 – Antes que Abraão existisse, Eu Sou – João 8:58

    C. Provada por Obras

        Certas obras atribuídas a Cristo exigem Sua preexistência - Colossenses 1:16.

    D. Provada por Aparições

        As aparições do Anjo do Senhor - Êxodo 3:2-4.

    E. Provada pelos Seus Nomes

        1 - Logos.
        2 - Filho de Deus.
        3 - Javé.

2. SUA ENCARNAÇÃO

    A. Significado

        Estar em carne.

    B. Seu Meio

        O nascimento virginal.

        1 – Predito - Isaías 7:14.
        2 - Provado - Mateus 1:16.
             O pronome feminino empregado indica que o nascimento de Jesus veio por Maria apenas, sem parti-              cipação de José.

    C. Suas Razões

        1 - Revelar Deus aos homens - João 1:18.
        2 - Prover um exemplo de vida - 1Pedro 2:21.
        3 - Prover um sacrifício pelo pecado - Hebreus 10:1-10.
        4 - Destruir as obras do diabo - 1João 3:8.
        5 - Ser um sumo sacerdote misericordioso - Hebreus 5:1-2.
        6 - Cumprir a aliança davídica - Lucas 1:31-33.
        7 - Ser sobremaneira exaltado – Filipenses 2:9.

    D. A Pessoa

        A Pessoa do Cristo encarnado incluía:

        1 - Divindade plenamente mantida.
        2 - Perfeita humanidade.
        3 - União numa única Pessoa para sempre.

3. SUA HUMANIDADE

    A. Ele Possuía um Corpo Humano

        1 - Nascido de mulher - Colossenses 4:4.
        2 - Sujeito a crescimento - Lucas 2:52.
        3 - Visto e tocado por homens - 1João 1:1; Mateus 26:12.
        4 - Sem pecado - Hebreus 4:15.

    B. Ele Possuía Alma e Espírito Humanos

        Mateus 26:38; Lucas 23:46.

    C. Ele Foi Sujeito às Limitações da Humanidade

        1 - Ele sentiu fome - Mateus 4:2
        2 - Ele sentiu sede - João 19:28.
        3 - Ele se cansou - João 4:6.
        4 - Ele chorou - João 11:35.
        5 - Ele foi tentado - Hebreus 4:15.

    D. Ele Recebeu Nomes Humanos

        1 - Filho do Homem - Lucas 19:10.
        2 – Jesus - Mateus 1:21.
        3 - Filho de Davi – Marcos 10:47.
        4 – Homem - Isaías 53:3; 1Timóteo 2:5.

    E. Ele Foi Capaz de Morrer.

4. SUA DIVINDADE

    A. Provada pelos Seus Nomes

        1 – Deus - Hebreus 1:8.
        2 - Filho de Deus - Mateus 16:16; 26:61-64.
        3 – Senhor – Mateus 22:43-45.
        4 - Rei dos reis e Senhor dos senhores - Apocalipse 19:16.

    B. Provada por Suas Características

        1 – Onipotência - Mateus 28:18.
        2 – Onisciência - João 1:48.
        3 – Onipresença - Mateus 18:20.
        4 – Vida - João 1:4; 5:26.
        5 – Verdade - João 14:6.
        6 – Imutabilidade - Hebreus 13:8.

    C. Provada por Suas Obras

        1 – Criação - João 1:3.
        2 – Sustentação - Colossenses 1:17.
        3 - Perdão de pecados – Lucas 7:48.
        4 - Ressurreição dos mortos - João 5:25.
        5 – Julgamento - João 5:27.
        6 - Envio do Espírito Santo - João 15:26.

    D. Provada pela Adoração Oferecida a Ele

        1 - Por anjos - Hebreus 1:6.
        2 - Por homens - Mateus 14:33.
        3 - Por todos - Filipenses 2:10.

    E. Provada por Igualdade na Trindade

        1 - Como Pai - João 14:23; 10:30.
        2 - Com o Pai e o Espírito - Mateus 28:19; 2Coríntios 13:13.

5. SUA VIDA TERRENA

    A. Sua Preparação

        1 - Nascimento.
        2 - Infância, pré-adolescência e crescimento até a maturidade.
        3 - Batismo.
        4 - Tentação.

    B. Sua Pregação

        1 - Ministério inicial na Judéia - João 2:13-4:3.
        2 - Ministério na Galiléia - Marcos 1:14-9:50.
        3 - Ministério da Peréia - Lucas 9:51-19:28).

    C. Sua Paixão

        1 - A última semana em Jerusalém - Lucas 19:29-22:46.
        2 - Traição e prisão - João 18:2-13.
        3 - Julgamento perante Anás - João 18:12-24.
        4 - Julgamento perante Caifás - Marcos 14:53-15:1.
        5 - Julgamento perante Pilatos - Marcos 15:1-5.
        6 - Julgamento perante Herodes - Lucas 23:8-12.
        7 - Segundo julgamento perante Pilatos - Marcos 15:6-15.
        8 - Crucificação.
        9 - Sepultamento.
        10 - Ressurreição.

    D. Seu Ministério Pós-Ressurreição e Sua Ascensão.

6. A KENOSIS

    A. Significado

        Esvaziamento. “... a si mesmo se esvaziou”. – Filipenses 2:7

    B. A Verdadeira Doutrina da Kenosis

        Envolve:

        1 - O encobrimento de Sua glória pré-encarnada.
        2 - Sua condescendência em assumir a semelhança de carne pecaminosa.
        3 - O não-uso voluntário de alguns de Seus atributos durante Sua vida terrena.

    C. Teoria Falsa da Kenosis

        Cristo abriu mão (perdeu) de certos atributos durante Sua vida terrena.
        Se isso tivesse acontecido, Ele teria deixado de ser Deus durante aquele período.

7. SUA IMPECABILIDADE

    A. Significado

        Cristo era incapaz de pecar. Isso não significa que Cristo era apenas capaz de não pecar.

    B. Objeção

        Se Cristo era incapaz de pecar, não poderia ter sido genuinamente tentado e, portanto, não poderia ser         um sumo sacerdote compassivo - Hebreus 4:15.

    C. Resposta

        A realidade da tentação não está na natureza moral da pessoa tentada e nem depende dela, e a possi-         bilidade de compaixão não depende de uma correspondência especifica entre os problemas enfrentados.

    D. Resultados

        1. A tentação provou a impecabilidade de Cristo.
        2. A tentação O capacitou a ser um sumo sacerdote misericordioso.

8. SUA MORTE

     (Veja também Soteriologia — A Doutrina da Salvação)

    A. Seu Destaque

        1 - No Antigo Testamento ela é como que um fio escarlate percorrendo a história, como o próprio Cristo
             demonstrou - Lucas 24:27, 44.
        2 - No Novo Testamento ela é mencionada pelo menos 175 vezes.
        3 – É o propósito máximo da encarnação de Cristo - Mateus 20:28; Hebreus 2:14.
        4 - É o coração do próprio evangelho - 1Coríntios 15:1-3.

    B. Sua Descrição

        1 - Um resgate. A morte de Cristo pagou o preço da penalidade pelo pecado - Mateus 20:28; 1Timóteo              2:6.
        2 - Uma reconciliação. A posição do mundo em relação a Deus foi modificada pela morte de Cristo, de tal              modo que todos os homens agora podem ser salvos - 2Coríntios 5:18-19.
        3 - Uma propiciação - A justiça de Deus foi satisfeita com a morte de Cristo - 1João 2:2.
        4 - Uma substituição. Cristo morreu no lugar dos pecadores - 2Coríntios 5:21.
        5 - Uma prova do amor de Deus - Romanos 5:8.

    C. Falsas Teorias sobre Sua Morte

        1 - Teoria do exemplo ou da influência moral.
             O único propósito da morte de Cristo foi exercer uma influência positiva sobre o homem.
        2 - Governamental.
             O governo de Deus sobre o universo exigia que Ele fizesse da morte de Cristo um exemplo do Seu              ódio ao pecado.
        3 - Neo-ortodoxa.
             A morte de Cristo foi uma revelação do amor de Deus e da pecaminosidade do homem, mas não              uma substituição pelo pecado do homem.
        4 - Resgate a Satanás.
             Afirma que o resgate efetuado pela morte de Cristo foi efetivamente pago a Satanás.

9. SUA RESSURREIÇÃO

    A. O Fato da Ressurreição

        1 - O túmulo vazio.
        2 - As aparições:
             a - A Maria Madalena - João 20:11-17.
             b - Às outras mulheres - Mateus 28:9-10.
             c - A Pedro - 1Coríntios 15:5.
             d - Aos discípulos no caminho de Emaús - Lucas 24:13-35.
             e - Aos dez discípulos - Lucas 24:36-43).
             f - Aos onze discípulos - João 20:26-29.
             g - A sete discípulos junto ao mar da Galiléia - João 21:1-23.
             h - A mais de 500 pessoas - 1Coríntios 15:6.
             i - Aos onze em Sua ascensão - Mateus 28:16-20
             j - A Paulo - 1Coríntios 15:8.
        3 - A existência da Igreja.
        4 - A mudança operada nos discípulos.
        5 - O dia de Pentecostes.
        6 - A mudança do dia de culto para o domingo.

    B. A Natureza de Seu Corpo Ressurreto

        1 - Era um corpo real - João 20:20.
        2 - Foi identificado com aquele que fora colocado no túmulo - João 20:25-29.
        3 - Foi transformado de modo a nunca mais ser sujeito à morte e a limitações - Romanos 6:9.

    C. O Significado da Ressurreição

        1 - Para Cristo.
             a - Provou que Ele era o Filho de Deus - Romanos 1:4.
             b - Confirmou a verdade de tudo que Ele dissera - Mateus 28:6.
        2 - Para todos os homens.
             a - Torna certa a ressurreição de todos - 1Coríntios 15:20-22.
             b - Garante a certeza do juízo vindouro - Atos 17:31.
        3 - Para os crentes.
             a - Dá certeza de aceitação perante Deus - Romanos 4:25.
             b - Supre poder para o serviço cristão - Efésios 1:19-22.
             c - Garante a ressurreição do crente - 2Coríntios 4:14.
             d - Designa Cristo como Cabeça da Igreja - Efésios 1:19-22.
             e - Garante-nos um Sumo Sacerdote misericordioso no céu - Hebreus 4:14-16.

10. SUA ASCENSAO

    A. Características

        Atos 1:9-11.

    B. Significado

        1 - Fim do período de limitação a que Cristo Se sujeitou.
        2 – Exaltação - Efésios 1:20-23.
        3 – Precursor - Hebreus 6:20.
        4 - Início de Seu ministério sumo sacerdotal - Hebreus 4:14-16.
        5 - Preparação de um lugar para Seu povo - João 14:2.
        6 - Senhorio sobre a Igreja - Colossenses 1:18.

11. SEU MINISTERIO ATUAL

        O atual ministério de Cristo no céu é todo relacionado, direta ou indiretamente, à Sua função de media- dor, e é revelado por sete ilustrações.

    A. O Último Adão e a Nova Criação

        Significado: Cristo como doador da vida. - 1Coríntios 15:45; 2Coríntios 5:17.

    B. Cristo, o Cabeça e a Igreja, Seu Corpo

        Significado: direção, sustento, concessão de dons espirituais.

    C. Pastor e Ovelhas

        Significado: direção e cuidado. - João 10

    D. Videira e Ramos

        Significado: produção de fruto espiritual. - João 15

    E. Pedra Angular e Pedras do Edifício

        Significado: vida, segurança - 1Coríntios 3:11; 1Pedro 2:4-8.

    F. Sumo Sacerdote e Sacerdócio Real

        Significado: sacrifício e intercessão. - 1Pedro 2:5-9

    G. Noivo e Noiva

        Significado: Prontidão - Efésios 5:25-27.

12. SUA VOLTA

      Veja Escatologia - A Doutrina das Últimas Coisas